segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Contra paredes



Joguei um por um na parede, e eles se estraçalhavam e caiam ao chão em milhões de pedaços, cada caco que caia no chão parecia ser um problema a menos.
E até foi bonito de ser ver, a maneira como os pratos com toda força batiam na parede e depois simplesmente se desfaziam, um por um.
Depois foi a vez dos copos, 12 deles, bonitos e transparentes caindo no chão escuro e se espalhando por todo o quintal.
Eles pareciam livres, livres como eu gostaria de estar, quebrados como eu estava, mas ainda assim eu queria ser como eles, quebrada fisicamente mas mantendo a essência, pois quando alguém olhasse saberia que um dia eles foram pratos ou copos da mesma maneira que quando alguém olhasse pra mim eu queria que vissem que mesmo quebrada um dia fui e ainda sou só uma garota. Quebrado de fato, mas um copo ou no meu caso uma adolescente, por direito.

2 comentários:

Anônimo disse...

adorei Mi *-* Biia

Jessi disse...

As vezes a gente tem mesmo vontade de sair quebrando tudo, minha mãe até tinha mania de fazer isso, serissimo :x kk enfim, adoro suas ideias de como comparar fatos da vida com seus próprios sentimentos, um beijo :*